Jair Bolsonaro, presidente da República| Foto: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta sexta-feira (11) novamente a liberação do uso de máscara para vacinados e pessoas já infectadas pela Covid-19. A medida foi criticada por especialistas que defendem avanço na vacinação antes da liberação.

Na quinta, Bolsonaro disse que pediu ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, um parecer sobre a liberação. “Quem já foi infectado e quem tomou vacina não precisa usar máscara. Quem vai decidir é ele [Queiroga], dar um o parecer”, afirmou.

Em seguida, o presidente disse que caberia a decisão final a governadores e prefeitos sobre a desobrigação do uso de máscara contra Covid-19. “Se bem que quem decide na ponta da linha é o governador e prefeito, eu não apito nada. É ou não é? Segundo o Supremo, quem manda são eles. Nada como você estar em paz com a sua consciência”, disse na saída do Palácio da Alvorada.

A referência ao STF é com relação à decisão de abril de 2020 sobre a autonomia de estados e prefeituras para tomar decisões na pandemia, na chamada competência concorrente dos entes da federação. O Supremo, porém, já reiterou diversas vezes que o governo federal pode adotar medidas de abrangência nacional.